Tag Archives: Robert Burgoyne

IEH | Leituras da semana (03 a 05/10)

Olá pessoal,

Eis as leituras da semana:

03/10 Robert Burgoyne, “Memória protética/memória nacional: Forrest Gump o contador de histórias. in A nação do filme, Ed. UnB, Brasília, 2002, pp. 145­-164.(texto apenas na copiadora).

05/10 Eric Hobsbawn, “A nação como novidade”, in Nações e nacionalismo desde 1870, Ed. Paz e Terra, São Paulo, 1998, pp. 27-­63.

Bibliografia básica sobre cinema e história

Olá pessoal,

Estou disponibilizando uma bibliográfica básica sobre cinema e história. Há muitos livros e artigos que não estão aqui, evidentemente, Mas essa é uma bibliografia para quem busca uma primeira aproximação com o tema.

Recomendo, para os neófitos no tema, que leiam os artigos de SANTIAGO JÚNIOR aqui listados (com acesso aos arquivos em pdf dos textos).

Disponibilizei arquivos em pdf de alguns livro, capítulos e artigos que tenho em meu HD.

1. BURGOYNE, R. A nação do filme. Brasília: EdUnB, 2009.
O autor problematiza as relações entre cinema e as representações da nação nos EUA a partir da análise de dramas históricos norte-americanos.

2. FERRO, M. Cinema e História. São Paulo: Paz e Terra, 2002.
Edição ampliada de um dos primeiros livros a discutir a relação entre história e cinema.

3. HALL, S.Da diáspora. Identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003.
Teórico da cultura, o britânico Stuart Hall discute temas tais como ideologia, raça, gênero, nação, representações sociais e e multiculturalismo tomando como ponto de partida produções da cultura de massas como o cinema, a literatura, a publicidade e a TV.

4. JAMESON, F. Marcas do visível. Rio de Janeiro: Graal, 1995.
Coletânea de artigos do teórico norte-americano que busca entender as alegorias políticas e econômicas do cinema. Por meio da análise de dramas comerciais tais como “Tubarão”, “O poderoso chefão” e outros Jameson procura analisar o modo como o cinema imagina e representa os conflitos do capitalismo contemporâneo.

5. KAPLAN, E. A. A mulher e o cinema. Rio de Janeiro: Rocco, 1995.
O livro trata das representações da mulher no cinema.

6. KELLNER, D.A Cultura da Mídia. Bauru: Edusc, 2001.
O autor discorre acerca representações sociais e políticas criadas a partir do cinema e da TV.

7. LANDSBERG, Prosthetic Memory: the transformation of american remembrance in the age of mass culture. New York: Columbia University Press, 2004.
Landsberg teoria acerca do que ela chama de “memória protética”, ou seja, um tipo de memória artificialmente criada pela mídia, em especial no cinema, que nos permite vivenciar o passado como se realmente o tivéssemos experienciado.

8. NÓVOA, J.; BARROS, J. D. Cinema-história. Teoria e representações sociais no cinema. Rio de Janeiro: Apicuri, 2008.

9. NÓVOA, J.; FRESSATO, S. B.; FEILGELSON, K. Cinematógrafo. Um Olhar sobre a História. . Salvador: UFBA, 2009.
Coletânea sobre história do cinema.

10. RAMOS, F. P. Teoria contemporânea do cinema. Pós-estruturalismo e filosofia analítica. São Paulo: Senac, 2004. v.I.
Primeiro volume de uma coletânea de artigos sobre cinema, centrada na abordagem estruturalista e analítica.  Nesse volume foi publicado um importante artigo de Ismail Xavier sobre as características alegóricas da narrativa cinematográfica.

11. RAMOS, F. P. Teoria contemporânea do cinema. Documentário e narratividade ficcional.São Paulo: Senac, 2005. v.II.
Segundo volume de uma coletânea de artigos sobre cinema, centrada nas questões colocadas pelas formas de representação do documentário. E também trata nas formas de narrativa ficcional.

12. ROSENSTONE, R. A História nos Filmes, os Filmes na História. São Paulo: Paz e Terra, 2012.
Clássico livro sobre as relações entre cinema e história. Uma das teses mais controversas de Rosenstone é advogar que o cinema é uma forma de historiografia.

13. SANTIAGO JÚNIOR, F. d. C. F. Cinema e historiografia: trajetória de um objeto historiográfico .História da historiografia, Outro Preto, v.12, p.151 – 173, Abril 2008.
Revisão bibliográfica sobre as relações entre cinema e história.

14. SANTIAGO JÚNIOR, F. d. C. F. Historiofotia, tropologia e história: além das noções de imagem nos escritos de Hayden White.História, São Paulo, v.33, n.2, p.489 – 513, Jul/Dez 2014.

15. SHOHAT, E.; STAM, R.Crítica da imagem eurocêntrica. São Paulo: Cosac Naify, 2007..
O livro se concentra na cinematografia do terceiro mundo, o cinema asiático, africano e latino-americano.

16. VIRILIO, P.Guerra e cinema. São Paulo: Boitempo, 2005.
O teórico francês Paul Virilio teoriza acerca das relações o cinema e as tecnologias da guerra.

17. XAVIER, I. Alegorias do subdesenvolvimento: cinema novo, tropicalismo e cinema marginal. São Paulo: Cosac Naify, 2012.
Nesse livro, Ismail Xavier teoriza acerca das características do cinema brasileiro dos anos 60 em diante.

IEH | Leituras da semana (28 a 30/09)

Olá pessoal,

Essas são as leituras para a próxima semana:

• 28/09 Robert Burgoyne, “Memória protética/memória nacional: Forrest Gump o contador de histórias. in A nação do filme, Ed. UnB, Brasília, 20-02, pp. 145­-164.

• 30/09 Eric Hobsbawn, “A nação como novidade”, in Nações e nacionalismo desde 1870, Ed. Paz e Terra, São Paulo, 1998, pp. 27-­63.